Número total de visualizações de página

quinta-feira, 19 de Fevereiro de 2009

A IGREJA CATÓLICA E O CASAMENTO ENTRE HOMOSEXUAIS

Consulte o meu outro blog:

http://operfumededeus.blogspo.com/

albanosousanogueira@sapo.pt

Começou a discussão acerca do casamento dos homosexuais. Aparecem os que estão a favor e os que estão contra.
A posição da Igreja Católica é clara (contra), como é clara a posição em relação ao aborto (contra).
A posição da Igreja Católica é a favor da pessoa humana e defende a pessoa humana como imagem e semelhança de Deus. Uma imagem digna, bela, elevada, justa, harmoniosa. Por isso, defende a vida contra o aborto (violência e morte de uma vida humana) e defende o casamento entre um homem e uma mulher.
A Igreja vai buscar o fundamento para as suas posições em dois lugares, ambos vindos de Deus que é a base, o alicerce, o fundamento de tudo o que ensina. Esses dois lugares são a lei natural e a lei revelada (Bíblia e tradição).
Por aquilo que é a Lei Natural e a Lei revelada (cuja origem os cristãos reconhecem como ambas vindas de Deus) a posição da Igreja só podia ser contra o casamento entre homosexuais.
1- A Lei Natural, para a Igreja Católica é de origem divina está gravada intimamente nos seres (como que no código genético). Deus é o Supremo Legislador e ao criar os seres fez com que os seres vivos precisem do masculino e do feminino para se atraírem, seduzirem, se apaixonarem, se completarem e se reproduzirem. Até no magnetismo (íman) há a atracção entre o positivo e o negativo. Pólos iguais repelem-se. A atracção é entre os diferentes.
A Lei Natural diz que é o masculino que atrai o feminino, isto é, são os diferentes que se atraem tanto no magnetismo (positivo e negativo), como nas plantas (androceu e gineceu), como nos animais (macho e fêmea), como nos humanos (homem e mulher).
Por isso, a lei que poderá permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo está a violentar e a violar a Lei Natural que o ser humano não deveria alterar, mas deveria respeitar. Esta lei que a existir, vai legalizar a atracção sexual entre os iguais do mesmo sexo, vai contra a natureza das coisas, é contra a natureza.
São os opostos, os contrários, os diferentes, que, segundo a lei natural, se atraem, se seduzem, se apaixonam, se completam e permitem a procriação.
Dois homens não se completam, não procriam; duas mulheres também não.
Quando o ser humano quer contrariar a lei natural está a exercer uma violência: veja-se, por exemplo a lei natural da gravidade e a violência que se tem de fazer para que um corpo não caia, mas suba, contrariando a lei da gravidade. Precisa de um motor violento, como os foguetes, os foguetões, os aviões e similares…
O mesmo se dá aqui: fazer e aceitar a lei que permite o casamento entre os homosexuais é contrariar a lei da natureza e significa exercer uma certa violência, tal como a lei do aborto implica uma violência contra a vida de um ser humano indefeso…
A violência que o humano exerce (qualquer que seja o contexto) é o contrário da lei divina que é doçura e amor e é a revelação de que o homem se está a deixar dominar pela animalidade que há em si e que o rebaixa e degrada em vez de o elevar e dignificar…
Esta é outra questão: a Igreja Católica prega e aponta o caminho que eleva a pessoa humana como imagem e semelhança de Deus; a sociedade segue e aponta, tantas vezes, caminhos inversos que rebaixam e degradam a pessoa humana.
2- A revelação divina é o segundo lugar onde a Igreja Católica vai buscar o fundamento para as suas posições: Bíblia e tradição. Ora tanto a Bíblia, como a Tradição dizem abertamente que o casamento é entre um homem e uma mulher. A atracção, a sedução e o envolvimento sexual dos iguais é condenada sem qualquer margem para dúvida.
O homem pode fazer muitas coisas, mas não deve, nem tudo lhe convém… Aqui entra a ética, a moral. Uma sociedade sem Deus é uma sociedade sem ética, sem moral. É a lei da selva, a lei do mais forte: vale tudo…
Quando se rejeita a base, o fundamento, o alicerce sólido que é Deus e a revelação divina na Lei Natural e na Bíblia, os alicerces seguros da sociedade são destruídos e depressa a casa vem abaixo: é o que estamos a assistir na derrocada da nossa sociedade sem Deus, sem ética, sem moral, sem valores.
Porque se não se respeita esta e outras leis naturais, tudo se torna relativo, tudo se torna permitido e não há moral, nem ética para se respeitar a verdade, a justiça, os bens dos outros, o bom nome dos outros, etc.
Se se viola esta lei natural, perde-se a razão para defender outras leis naturais e por isso, é que a sociedade é cada vez mais uma selva em que os homens são lobos para os outros homens porque não se respeitam nem sequer as leis naturais…
O Homem destrona Deus fazendo leis contrárias à Lei Natural e coloca-se ele mesmo no lugar de Deus dizendo o que está bem e o que está mal. Deus não conta, só conta o Homem. O problema é que o Homem com Deus diviniza-se, eleva-se, engrandece-se. O Homem sem Deus, rebaixa-se, degrada-se, animaliza-se, bestializa-se…
P. Albano Nogueira

4 comentários:

conceição disse...

Totalmente de acordo! Hoje vale tudo, perdeu-se todo o sentido de moral e ética, põe-se Deus em último lugar, contrariam-se as leis da Natureza. A Igreja necessita de pessoas que tenham a coragem de indicar o caminho certo, com firmeza e convicção. Bem haja!

Anónimo disse...

Não estou dizendo quem está certo ou errado:Apenas um questionamento para que não percamos a imagem de Jesus , manso humilde que nunca condenou e que se diz está na gente;HOMOSEXUAIS ERRADO, tudo bem até air e os demais erros como pedofilia entre outros vamos combater e condenar? Não vou atirar pedra no telhado do meu vizinho porque o meu é de vidro

Anónimo disse...

ÒTIMO ARTIGO!
Gosto muito da postura da igreja católica quanto ao casamento e estou convicto de que esta posição quanto ao casamento de pessoas do mesmo sexo realmente fere não só a lei natural, mas tambem a Santa lei de Deus (Exodo 20:1 a 17). Realmente homem algum tem o direito de mudar a lei de Deus. Quão louvável seria também se a igreja tivese a mesma posição(de não alterar a lei de Deus) no que diz respeito ao outros preceitos desta lei; como por exemplo: o quarto mandamento da lei de Deus manda guardar o sábado(Exodo 20:8-11), no entanto a igreja se achou no direito de mudar para o domingo.Cumprindo-se assim a profecias de Daniel 7:25.
O mesmo Deus que não permite mudança na lei para permitir o casamento de homosexuais, também não aceita que homem algun mude o dia que Ele estabeleceu no princípio como dia de guarda e memorial de sua criação9gEN 2:1,2).
Pensemos seriamente nisto!

Anónimo disse...

otimo artigo ;como podem querer mudar as leis de Deus